Ensaio Tropical 

Ensaio Tropical é o título de um trabalho desenvolvido a partir de um contexto específico, ditado pela circunstância de ser bisneta do fundador do Teatro Ribeiro Conceição, e que irá desembocar numa instalação com o mesmo nome.

O meu bisavô , que eu não conheci, terá pertencido à geração  de Portugueses,  e neste caso Lamecenses  que, no inicio do século XX imigrou para o Basil, regressando depois, às suas terras de origem - os apelidados Torna- Viagem.

A minha investigação para este trabalho, começou com uma incursão pelos álbuns fotográficos de família e pelos objectos  que de alguma forma pude associar  ao meu bisavô. 

Para mim,  é-me bastante difícil, senão impossível  dissociar-me da minha condição de artista, pelo que este convite apelou exatamente a essa  mesma condição. 

 Assim, a pergunta que logo  se impôs, foi, como agir artisticamente sobre este contexto ?

Como materializar a minha visão destes acontecimento ?

Como produzir, portanto, uma nova visão de  mundo ? Um novo sentido ?

 

A procura de imagens e objectos nos arquivos de família, é sempre,  um momento de  alguma expectativa e emoção, já que essas imagens, foram guardadas ao longo dos tempos por gerações, que lhes foram conferindo camadas de significados. Significados esses, que se foram alterando ao longo dos tempos, alguns  guardados na memória, outros  esquecidos para sempre.  Quanto mais a minha pesquisa avançava entre as imagens e os objectos, mais ficava com a certeza que a ideia de descobrimento era a chave.   Não só de descobrimento de outras paisagens, outros mundos, e outras formas de viver e pensar,  mas  também da descoberta  de si próprio.  Suspeito, que terá sido o desejo de descoberta, a ansia de desvendar novos caminhos, que terá movido o jovem José  a viajar para além- mar. 

Através de  alguns objectos e postais ilustrados com imagens dos lugares, “As Lembranças do Amazonas “ pude concluir que o meu bisavô, viajou dentro e fora  do  Brasil, não se confinando apenas a S. Paulo e a Santos, mas visitando outros locais , como  o Rio de Janeiro e o estado  do Amazonas, etc..  Manaus, a capital do Amazonas, era  por essa altura,  uma cidade que prosperava, nas várias áreas, principalmente  devido à  industria seringueira.  O ciclo da Borracha, trouxe a esta região Amazônica, muita riqueza que foi convertida em  construção de edifícios monumentais, públicos e privados,  e em  planeamento urbano e higienização, à semelhança do modelos urbanistas modernistas de inspiração Europeia. 

Esta investigação sobre as  fotografias e objetos de família, foi feita à semelhança do Atlas de Abi Warburg, isto é , um Atlas que aspira a  “ reconfigurar a ordem das coisas “ através da descoberta de novas afinidades entre os objectos ou as imagens.

Não me interessou obedecer a  uma cronologia, nem um alinhamento lógico próprio da História,  mas descobrir novas analogias, confrontar fragmentos heterogéneos, eleger outras  relações entre as imagens e os objectos, na esperança de descobrir novas trajetórias do pensamento.